17 março 2017

“150 Anos de Eça em Évora” assinalados em colóquio promovido pela autarquia

A passagem dos 150 anos sobre a presença do escritor Eça de Queirós em Évora, está a ser evocada esta sexta-feira, 17 de Março, num colóquio a decorrer no Salão Nobre dos Paços do Concelho. A organização é da Câmara Municipal em conjunto com várias entidades locais, nacionais e um grupo de cidadãos eborenses. Às 18h30, na Biblioteca Pública, está agendada a inauguração da exposição "150 Anos de Eça em Évora".  

O evento, aberto a toda a população e de entrada livre, assinala o dia 17 de Março de 1867. Nessa data, o então jovem jornalista, publicava no jornal o Distrito de Évora (de que era diretor e redator) o conhecido Manifesto do Distrito de Évora - documento de protesto contra medidas do governo central.


DSC_0004.JPGA sessão de abertura do colóquio contou a presença de Antonio Saez Delgado, do Departamento de Linguística e Literaturas da Universidade de Évora, e de Eduardo Luciano, Vereador da Cultura da edilidade eborense. O autarca, na sua intervenção, evidenciou a passagem de Eça pela cidade, lembrando que o escritor tinha a noção da importância do municipalismo. O envolvimento de várias entidades na organização desta iniciativa foi também enaltecido pelo vereador.

"Distrito de Évora: do exercício da escrita ao combate político", foi o tema da conferência de abertura proferida por Ana Teresa Peixinho, da Universidade de Coimbra, onde foram explorados alguns aspetos e curiosidades sobre a faceta jornalística de Eça que, aos 21 anos, se tornava diretor e redator único de um jornal de oposição política local e nacional. DSC_0019.JPG

As restantes comunicações apresentadas estão a cargo de oradores da Universidade de Évora, Rede de Bibliotecas de Évora, Fundação Eça de Queirós, Fundação Eugénio de Almeida, Grupo Pró-Évora e diversos investigadores.

Este colóquio faz parte de uma série mais vasta de comemorações que se estendem ao longo do ano, através da qual a Câmara Municipal, juntamente com as restantes entidades e cidadãos envolvidos, pretendem fazer uma reflexão sobre a figura do escritor e a sua presença na cidade, no século XIX, de modo a dar a conhecer a sua faceta jornalística e política e revelar alguns dos principais acontecimentos da época geralmente designada como "período regenerador", em Évora e no país.