24 outubro 2016

“Entre Vizinhos” – Um encontro em Évora de bairros projetados por Siza Vieira

Referindo-se à Malagueira, Carlos Pinto de Sá afirmou que “Esta é uma pérola da arquitetura que precisamos valorizar e recuperar; e a Câmara compromete-se com esse objetivo”

​​

"Entre Vizinhos" – Um encontro em Évora de bairros projetados por Siza Vieira

Na passada sexta-feira, dia 21, no Grupo Cultural de Desportivo dos Bairros de Santa Maria e Fontanas, em Évora, teve lugar o último de três encontros entre quem desenha os lugares a habitar e quem os habita.

Malagueira em Évora, Bouça no Porto e Caxinas em Vila do Conde, são três bairros de habitação que têm em comum o facto de terem sido projetados por Álvaro Siza Vieira. Em cada um deles aconteceram encontros em torno dos projetos, dos processos participativos, dos lugares e diferentes vivências, sempre a partir da experiência dos residentes. No fundo, encontros entre os moradores e a obra do mais prestigiado arquiteto português.

Com organização da Direção Geral das Artes, Ordem dos Arquitetos e SIC, este encontro teve como base de enquadramento o tema da representação portuguesa na XV Bienal de Arquitetura de Veneza - "Vizinhança: onde Álvaro encontra Aldo" a decorrer até Novembro.

A Câmara Municipal de Évora, representada pelo seu presidente Carlos Pinto de Sá e a União de Freguesias da Malagueira e Horta das Figueiras, representada pelo seu presidente José Russo, foram as entidades anfitriãs do encontro. Estiveram presentes pelas entidades organizadoras Paula Varanda, Diretora Geral das Artes, Pedro Ravara da Ordem dos Arquitetos e Cândida Pinto, jornalista da SIC e autora da série "Vizinhos". Participaram ainda Nuno Grande e Roberto Cremascoli, curadores do Pavilhão de Portugal na XV Bienal de Arquitetura de Veneza e Brigitte Fleck, autora do livro "Malagueira, Álvaro Siza's Legacy".

Nuno Ribeiro Lopes, arquiteto e gestor do plano Malagueira, moderou o encontro e fez uma caraterização do bairro com referência não só às questões da sua singularidade arquitetónica, mas também aos aspetos sociais e histórico-culturais. Terminou com uma manifestação de esperança na conclusão do bairro, que foi ao mesmo tempo um apelo às autoridades: "um dia há-de-se acabar isto".

José Russo deu conta do privilégio e ao mesmo tempo da responsabilidade que é gerir administrativamente o território onde está implantado o Bairro da Malagueira e do forte empenho da União de Freguesias na sua valorização, referindo o trabalho que tem sido feito nesse sentido em contacto direto com Siza Vieira.

Pedro Ravara e Brigitte Fleck referiram-se à intervenção de Siza Vieira em contacto com as vivências dos moradores em cada um dos bairros, ao encontro de pontos comuns no cruzamento de culturas e hábitos diferentes, e às relações de vizinhança no contexto nacional e europeu. Para tal reportaram-se a exemplos de diversos trabalhos na Europa, entre os quais o imponente edifício que Siza Vieira projetou para a cidade de Berlin e que um grafiti batizou com o nome de "Bonjour Tristesse".

De Carlos Pinto de Sá, Presidente da Câmara, veio a esperança: começou por se referir ao facto de que este Bairro nasceu num tempo histórico "em que as pessoas tomaram em suas mãos a capacidade de resolver gravíssimos problemas com que se confrontavam, entre os quais o da habitação. E que na altura, a autarquia liderada por Abílio Fernandes, foi capaz de interpretar esse movimento e criar soluções. O resultado é que Évora ganhou um bairro que é hoje da cidade, mas também do país e do Mundo, já que é reconhecido, estudado e referenciado às várias escalas". O Presidente do Município acabou por anunciar que 2017, o ano das comemorações dos 40 anos do bairro, irá ter a marca da Malagueira na atividade autárquica em Évora. "Quero afirmar que a Câmara voltou a dar uma particular atenção à Malagueira", disse Carlos Pinto de Sá. "Esta é uma pérola da arquitetura que precisamos valorizar e recuperar; e a Câmara compromete-se com esse objetivo", garantiu o autarca.