02 abril 2019

Núcleo do Alto de S. Bento acolheu Oficina de Tinturaria Natural

​O​ espaço do Núcleo Museológico do Alto de S. Bento tornou-se pequeno para acolher todos os participantes na Oficina de Tinturaria Natural, que decorreu no dia 30 de Março, e se revelou um sucesso.

 

A iniciativa foi organizada pela Câmara Municipal de Évora em parceria com a Universidade de Évora. Contou com a colaboração da Professora Doutora Celeste Santos e Silva - Bióloga no Departamento de Biologia da Universidade de Évora/Laboratório de MacroMicologia ICAAM.

 

Enriquecer a vida dos seus habitantes, é um dos objetivos centrais de Évora, Cidade Educadora e o desenvolvimento de atividades de educação ambiental é uma prática regular da Câmara de Évora. O Núcleo Museológico do Alto de S. Bento é um recurso educativo que oferece à comunidade educativa a oportunidade de usufruir de atividades científicas e artísticas que dão a conhecer os valores naturais locais. Pontualmente, disponibiliza também atividades para toda a comunidade, como esta oficina de tinturaria natural.

 

Nesta oficina, os participantes conheceram algumas das plantas e fungos mais usados como corantes naturais; aprenderam algumas técnicas para a obtenção de tinturas e experimentaram uma delas, seguida da sua aplicação no tingimento de fibras naturais, como por exemplo o linho, algodão e a lã pura, fibras utilizadas nesta oficina. Ficaram ainda a conhecer a oferta regular deste recurso educativo e os laboratórios da flora e geologia, a horta e o jardim aromático, tornando-se uma tarde rica em aprendizagens.

 

Refere a Professora Celeste Santos Silva que "Até à segunda metade do século 19, as substâncias usadas para tingir tecidos eram exclusivamente extraídas da natureza (plantas, animais, fungos, etc.) e as técnicas usadas eram mantidas em segredo. Os tintureiros competiam para conseguir as cores mais "difíceis" e duradouras. Com o desenvolvimento da indústria química o uso de corantes naturais foi praticamente abandonado, pois os corantes sintéticos são mais fáceis de produzir em larga escala que os naturais. Atualmente, cresce o interesse por o uso de corantes de origem natural e "ressuscitaram-se" as antigas técnicas de tingimento".

20190330_162106.jpg 20190330_163130.jpg 20190330_163139.jpg 20190330_164350.jpg 20190330_164419.jpg 20190330_164444.jpg 20190330_170744.jpg 20190330_172605.jpg 20190330_172619.jpg 20190330_173008.jpg 20190330_173931.jpg