21 fevereiro 2020

Brincas de Carnaval retratadas em exposição fotográfica, documental e digital

O Convento dos Remédios acolhe, até ao próximo dia 30 de junho, a exposição "Brincas de Carnaval de Évora – uma manifestação do património cultural imaterial do concelho de Évora". Coorganizada pela Câmara Municipal e Direção-Regional de Cultura do Alentejo, esta mostra, recém-inaugurada, é composta por fotografias do fotógrafo alentejano Augusto Brázio que acompanhou o grupo de Brincas dos Canaviais em dois anos distintos: 2001 e 2019. A exposição pode ser visitada de segunda a sexta-feira no seguinte horário: 9h30 - 12h30 e 14h00 - 17h30.

DSC_5209.JPG

Esta exibição integra também uma componente documental com cartazes, fatos e adereços usados pelos vários grupos e uma vertente digital com testemunhos de membros dos grupos de Brincas. A preservação da memória desta tradição cultural, garantindo o seu reforço e continuidade, foram aspetos sublinhados por Eduardo Luciano, vereador com o pelouro da Cultura e Património na autarquia eborense, e Rui Arimateia, responsável pelo Centro de Recursos do Património Cultural Imaterial do Concelho de Évora.

DSC_5227.JPG

As Brincas de Évora são uma antiga tradição performativa e constituem-se como uma forma de teatro comunitário que acontece durante o Carnaval, criadas ou recriadas por grupos informais que se organizam, anualmente, para a construção e execução de uma dramatização popular durante a época carnavalesca. Os grupos escolhem e ensaiam textos escritos em décimas, misturam tragédias e dramas e são uma manifestação muito rica e complexa da Cultura Popular.

expo.jpg

Atualmente permanecem em atividade dois grupos de brincas de adultos: as Brincas de Carnaval dos Canaviais e as Brincas de Carnaval do Rancho Folclórico Flor do Alto Alentejo, e um grupo de brincas infantil, a Escolinha de Brincas da Casa do Povo dos Canaviais.

DSC_5220.JPG

A inauguração desta exposição foi ainda aproveitada para apresentar o espólio das "Emissões Ebura", agora integrado no Centro de Recursos do Património Imaterial. São centenas de registos áudio que documentam as emissões radiofónicas realizadas desde 1993 por Maria Luisa e Gisélia Silva e que se cruzam com a vida cultural da cidade.