13 julho 2016

Reunião do Conselho Municipal de Educação de Évora

​​A falta de pessoal não docente nas escolas foi um dos assuntos tratados na mais recente reunião do Conselho Municipal de Educação de Évora, presidido pela Vice-Presidente da Câmara Municipal, Élia Mira, que decorreu no dia 12 de Julho, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

 

A resiliência dos Agrupamentos de Escolas em relação à grave escassez de pessoal não docente, que condiciona seriamente o seu funcionamento, foi sublinhada por Élia Mira, comunicando que se está a procurar sensibilizar os decisores públicos a nível nacional para a questão, visando a sua resolução até ao início do próximo ano lectivo. Por proposta do Delegado Regional de Educação, foi aceite a constituição de grupo de trabalho encarregue de preparar documento sobre a problemática a ser entregue às entidades superiores.

 

Da ordem de trabalhos destacaram-se ainda assuntos como o Plano de Transportes Escolares para 2016/17 - onde a autarquia continua a dinamizar medidas de discriminação positiva, nomeadamente a comparticipação dos transporte dos alunos do secundário evitando o abandono escolar - e o programa a desenvolver durante o mês de Novembro para assinalar as comemorações de Évora Cidade Educadora. É um programa que tentará envolver as instituições do concelho em torno da reflexão e demonstração do conceito das Cidades Educadoras, culminando num seminário que procurará estabelecer a interligação entre os 40 anos da Constituição, os 30 anos da Lei de Bases do Sistema Educativo e a Carta de Princípios da Cidade Educadora.

 

O trabalho em parceria realizado nos últimos meses na área educativa foi também referido pela autarca, recordando eventos tão variados como o Carnaval das Escolas, a Volta a Évora em 70 Dias ou a Festa das Actividades de Enriquecimento Curricular, bem como as atuações durante a Feira de S. João no Parque Infantil.

 

No âmbito do projecto Contrato Local de Desenvolvimento Social/CLDS-3G Vidas Ativas, as técnicas Otília Roque (APPACDM) e Ana Palhinhas (Fundação Eugénio de Almeida) fizeram o ponto de situação das atividades dinamizadas e a desenvolver nos três eixos do referido CLDS: Trabalho, Emprego e Qualificação; Intervenção Familiar e Parental Preventiva da Pobreza Infantil; e Capacitação da Comunidade e das Instituições, realçando as ações que são de articulação com a área da educação.

 

Teve lugar ainda a apresentação do Centro de Respostas Integradas do Alentejo Central pelos técnicos Paulo de Jesus e Duarte Coxo. O CRI oferece respostas quanto à prevenção, tratamento e reinserção de pessoas adictas ao consumo de substâncias psicoativas. O álcool e o consumo de novas substâncias como a cannabis, nomeadamente a cannabis sintética, são duas das prioridades de trabalho, apesar de estarem também a dar atenção às novas dependências, como por exemplo os jogos de computador. Indicaram que as consultas para adolescentes, que existem desde 2008, saíram das suas instalações no Bacelo e são agora realizadas nas instalações do IPDJ, verificando-se um aumento da procura do serviço.

Foto1.jpg Foto2.jpg Foto3.jpg Foto4.jpg