27 janeiro 2017

Eborenses receberam fogos de arrendamento a custos controlados

​Treze contratos no âmbito do Mercado Social de Arrendamento (MSA) foram hoje (26 de Janeiro) assinados entre o IHRU – Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana e os novos inquilinos do empreendimento da Horta dos Telhais (Bacelo). A assinatura decorreu nos Paços do Concelho de Évora e contou com a participação da Vice-Presidente da Câmara Municipal, Élia Mira e da Directora da Habévora, EM, Cláudia Caeiro.

 

Uma resposta habitacional, que se situa entre o mercado livre de arrendamento e a habitação social, visando resolver dificuldades de acesso à habitação, principalmente num município em que as rendas de mercado livre são de difícil acesso, possibilitando a oferta de habitações com rendas, em média, 30% inferiores aos valores praticados.

A empresa municipal, que mantém com o IHRU um protocolo de colaboração, recebeu e analisou as candidaturas de acordo com o Regulamento de Acesso ao MSA. Coube ao IHRU, como entidade gestora, a decisão da elegibilidade da candidatura e atribuição da habitação. Esta é uma parceria de grande importância para a Câmara de Évora, pois permite o encaminhamento do Município, e em concreto da Habévora, E.M, para uma nova resposta habitacional.  

 

"No Município temos um vasto património de habitação social, destinado às pessoas de mais baixos rendimentos, mas sabíamos que havia um conjunto de pessoas que, não estando nesta franja com tantas dificuldades económicas, precisavam de uma casa com custo de renda controlado", reconheceu a Vice-Presidente Évora, Élia Mira.

 

Tendo em conta que assistimos um pouco por toda a cidade ao arrendamento privado com rendas muito elevadas e, por vezes, em habitações com o mínimo de condições, a autarquia viu de forma positiva esta proposta, pois sabia que respondia a uma necessidade básica da população.

 

"Esta parceria com o IHRU serve a todos nós, serve ao Município e serve aos nossos munícipes", considerou a autarca, realçando que "vão para uma zona muito sossegada e bonita, uma zona em expansão da cidade e por isso temos a noção que vão ficar bem, vão ser felizes e constituir ali uma nova comunidade". Agradeceu ainda à Habévora e ao IHRU pelo trabalho que permitiu agora esta primeira fase de entregas, às quais se seguirão outras. 

​José Manuel Figueiredo, representante do IHRU, que é proprietário de quase seis dezenas de fogos no Bairro das Pites, agradeceu pelo apoio prestado e desejou felicidades a todos nas casas que vão estrear. Esclareceu também algumas dúvidas em relação aos contratos que foram assinados no decurso da sessão e entregues a cada um dos arrendatários junto com a chave da habitação.

 

Contratos que vigoram por um período de cinco anos, renováveis por períodos de um ano, se nenhuma das partes os denunciar. Têm valor de renda definido que poderá ser actualizado anualmente em função dos índices que são estipulados pelo Instituto Nacional de Estatística.

Foto1.jpg Foto2.jpg Foto3.jpg Foto4.jpg Foto5.jpg Foto6.jpgFoto7.jpg Foto8.jpg Foto9.jpg