17 fevereiro 2017

Cimeira Infantil da Água alerta para preservação dos recursos

​A II Cimeira Infantil da Água decorreu esta manhã (17 de Fevereiro) no Jardim Infantil Nª Sª da Piedade, em Évora, num clima de muita alegria e convívio. Envolveu os alunos da instituição e da Escola Básica dos Canaviais num projeto destinado a educar para a preservação dos recursos.

Os meninos deram asas à sua criatividade através de diferentes trabalhos e aprenderam também conceitos essenciais sobre a proteção ambiental. Este trabalho apoiado e incentivado pela autarquia contribui também para fortalecer a Cidade Educadora, como sublinhou a Vice-Presidente da Câmara Municipal de Évora que acompanhou o evento e valorizou o trabalho realizado por esta comunidade educativa.

 

Num ano em que se assinala os 480 anos da chegada da água à cidade "o que aqui assistimos hoje é a prova que Évora é uma cidade verdadeiramente educadora que permite aos mais novos ter uma palavra e a nós vir ouvi-los, sobretudo naquilo que nos têm a dizer relativamente à água", sublinhou a Vice-Presidente da autarquia aos jornalistas.

 

Reconhecendo que "a água é um bem escasso e tem de ser usada de forma racional", Élia Mira salientou que "é através da educação, sobretudo dos mais pequenos, que os adultos também vão tomar consciência desta necessidade".

 

Realçou  ainda o valor desta convivência entre os alunos de uma escola pública do 1º Ciclo, os Canaviais, e os alunos do ensino pré-escolar desta Instituição Particular de Solidariedade Social, através do "trabalho fantástico que é feito pelos educadores e professores da escola pública, mas também do ensino privado e, neste caso, do ensino particular de solidariedade social".

 

A Directora do Jardim de Infância de Nª Sª da Piedade, Maria do Anjo Grilo, enunciou os principais objectivos deste trabalho, no qual é essencial "falar com os meninos e explorar estas temáticas da maneira que eles sabem" e, através de diversas atividades pedagógicas, expressar a mensagem principal: "a água é um recurso precioso que temos que o proteger".

 

"Ao dizer isto às crianças elas começam a guardar essa ideia, a entendê-la e a respeitá-la", afirmou a responsável pelo Jardim Infantil, considerando que os alunos "têm de ser educados no sentido da sustentabilidade, do respeito pelo outro, do respeito pelo planeta e o mais engraçado é que numa criança tem o chamado​ efeito borboleta, começa a espalhar esta mensagem e até acaba por educar os pais".

Foto1.jpg Foto2.jpg Foto3.jpg Foto4.jpg Foto5.jpg Foto6.jpg Foto7.jpg Foto8.jpg Foto9.jpg Foto10.jpg Foto11.jpg Foto12.jpg Foto13.jpg Foto14.jpg Foto15.jpg Foto16.jpg Foto17.jpg Foto18.jpg Foto19.jpg Foto20.jpg Foto21.jpg Foto22.jpg Foto23.jpg Foto24.jpg Foto25.jpg Foto26.jpg Foto27.jpg Foto28.jpg Foto29.jpg Foto30.jpg Foto31.jpg Foto32.jpg Foto33.jpg Foto34.jpg Foto35.jpg Foto36.jpg Foto37.jpg Foto38.jpg