26 abril 2016

Comemorações do 25 de Abril encheram Praça do Giraldo

​​Comemorações do 25 de Abril encheram Praça do Giraldo

A Praça do Giraldo, em Évora, tornou-se pequena para acolher a multidão que na noite de 24 para 25 de Abril celebrou o 42.º aniversário da revolução dos cravos.

Antes do começo dos espetáculos, Carlos Pinto de Sá, Presidente da Câmara de Évora, leu uma moção aprovada pela autarquia onde se enfatizou a importância de continuar a lutar por melhores condições de vida para a população numa época de austeridade.

As atuações dos Ciganos D'Ouro, da Banda Filarmónica Liberalitas Julia e das Vozes de Abril que, em uníssono, cantaram a Grândola, animaram as hostes. O espetacular fogo-de-artifício que encerrou as festividades foi a cereja no topo do bolo.

Durante o dia 25 realizaram-se várias atividades desportivas e de animação, para além de um almoço comemorativo organizado pela Associação Povo Alentejano, no Pavilhão do Bacelo.

As atividades foram organizadas pela Câmara Municipal em conjunto com as freguesias e os agentes do concelho.  

​Saudação ao 25 de Abril e ao 1.º de Maio

Combater o Empobrecimento, Garantir Condições de Vida Dignas

 

  1. A Revolução popular e democrática de 25 de Abril de 1974 originou o período de maior justiça social, progresso e desenvolvimento da História de Portugal. Derrubou o fascismo, conquistou a liberdade política, abriu perspetivas de construção de um Portugal democrático, de paz, desenvolvido e mais justo. As liberdades constitucionais, os direitos dos trabalhadores e das mulheres, a descolonização e o respeito por todos os povos, a democratização do ensino, o serviço nacional de saúde de qualidade e de acesso universal, a segurança social pública, o Poder Local Democrático, entre outros avanços, levaram a um enorme desenvolvimento do País, do Alentejo e de Évora.
  2. O Poder Local Democrático, criação de Abril, com uma notável visão de futuro, estudou, projectou, candidatou e obteve para Évora a classificação, pela UNESCO, como Património da Humanidade. Este ano comemoramos, com orgulho e projetando o futuro, os 30 anos de Évora, Património Mundial.
  3. 42 anos depois de Abril, Portugal e o seu Povo têm assistido a um processo de regressão económica e social de empobrecimento dos trabalhadores e do Povo, de uma pesada recessão económica, de elevado desemprego, de uma enorme dívida externa. Entretanto, foram recentemente dados alguns passos no sentido de procurar inverter esta situação de declínio e, sobretudo, de repor rendimentos que permitam melhores condições de vida. É imprescindível que se concretize o combate ao empobrecimento, o que passa por uma progressiva e mais justa repartição do rendimento nacional, por qualidade e condições de vida dignas para todos.
  4. Temos um sistema político democrático. Mas foram extintas mais de 1.100 freguesias, reduzida a participação política elegendo menos 20.000 portugueses, o poder está mais concentrado e pessoalizado. Melhorar e aprofundar a democracia passa pela reposição das Freguesias, conforme vontade do Povo, passa pelo respeito pela autonomia do Poder Local Democrático, passa por salvaguardar os serviços públicos, passa por garantir condições para uma maior participação cívica.
  5. Temos um sistema económico e social que registou significativos avanços nos direitos e na dignificação do trabalho e do cidadão. Mas, temos que inverter o processo de retrocesso e liquidação de direitos e de uma agravada e cada vez mais assimétrica distribuição do rendimento nacional. Temos que apostar na economia produtiva, no investimento produtivo, no emprego com direitos, em salários dignos.
  6. Temos o interior do País mais desenvolvido. Mas é inquestionável a crescente litoralização do País alargando-se o fosso e o despovoamento do interior. O Alentejo não pode continuar a perder 7 pessoas por dia. Temos que apostar no interior do país com novas políticas amigas das zonas rurais, incentivadoras das economias locais e regionais, apostadas na fixação das pessoas,

 

Neste contexto, a Câmara Municipal de Évora, reunida a 20 de Abril de 2016, saúda os 42 Anos da Revolução de Abril, saúda o 1.º de Maio, Dia do Trabalhador, e:

 

a)       Exorta à participação dos cidadãos e cidadãs para que celebremos o progresso conquistado, reflitamos sobre os graves problemas atuais, combatamos o empobrecimento, a desigualdade e perda de direitos, lutemos pela construção de um país melhor e mais justo;

 

b)       Celebra os militares de Abril, os que lutaram contra a ditadura fascista, pela liberdade, por uma sociedade mais justa. Valoriza o espírito popular de Liberdade, de dignidade, de luta, de transformação social de Abril como fonte inspiradora para enfrentar as políticas e os problemas do presente e construir melhores condições de vida;

 

c)       Sublinha os 40 anos da Constituição da Republica Portuguesa, uma das mais avançadas do mundo, e o seu enorme valor e contributo como carta de progresso civilizacional;

 

d)       Festeja o 1.º de Maio, dia de festa e luta pela defesa dos direitos conquistados, contra o desemprego e a precariedade, pelo trabalho com direitos, por melhores salários e reformas dignas, pelo respeito pelos trabalhadores. Valoriza o trabalho como fonte de riqueza determinante para o crescimento e o desenvolvimento da Sociedade;

 

    1. Afirma a convicção que é na defesa e projeção dos valores humanistas e progressistas do 25 de Abril que Évora, o Alentejo e Portugal poderão construir um futuro de desenvolvimento e justiça social para o Povo.​


a1.jpg a2.jpg a3.jpg a4.jpg