03 julho 2018

Conferência debate “Aeronáutica, Espaço, Defesa e Segurança: Um Projeto de Futuro”

​As comemorações do 66º aniversário da Força Aérea Portuguesa terminaram segunda-feira com a realização, no Palácio D. Manuel, da conferência “Aeronáutica, Espaço, Defesa e Segurança: Um Projeto de Futuro, organizada pela Câmara Municipal de Évora, Força Aérea Portuguesa e o Portugal Looks Up.

Durante mais de duas horas, a conferência procurou dar a conhecer as ideias ou os desígnios considerados mais relevantes para o futuro deste setor em Portugal, dentro de cada uma das áreas de atividade desenvolvidas.

Recorde-se que o setor da Aeronáutica, Espaço, Defesa e Segurança, com uma faturação anual de 1.700 milhões euros, emprega cerca de 18.500 pessoas, distribuídas por cerca de 60 empresas e entidades. Neste momento este sector representa 1,5 % do PIB e que se prevê atingir a meta dos 3% dentro de pouco tempo tendo em conta a procura crescente de mercado.

“O setor está em mudanças, com multinacionais a fazer compras em Portugal. Ponte de Sor é um exemplo onde uma multinacional francesa comprou instalações. E há outros sucessos assumidos nestas áreas. É o caso, por exemplo, da Mecachrome, que se instalou ao lado da Embraer, em Évora, para trabalhar para a Airbus. Aliás, para julho está prevista uma ação empresarial com uma missão da Airbus em Portugal para procura de empresas fornecedoras. Este projeto é concertado com a AICEP”, lembrou o major-general José Cordeiro, CEO da AED Portugal, na intervenção de abertura da Conferência.

O Presidente da Câmara Municipal de Évora, Carlos Pinto de Sá, foi um dos intervenientes no primeiro painel, juntamente com representantes da Universidade de Évora, Embraer, Aeromec, num debate moderado pelo Brigadeiro-General António Temporão.

Durante a sua intervenção, o autarca de Évora frisou a importância da criação do cluster aeronáutico em Évora, não só em termos locais, mas principalmente para toda a região Alentejo, em que o impacto deve ser analisado face à realidade regional, onde as regiões de Ponte de Sor, Beja e, ultimamente, Grândola têm uma palavra a dizer. “Não queremos estar sozinhos neste contexto. A região tem uma palavra a dizer e nós só entendemos o desenvolvimento regional, à luz deste cluster, se for entendido como um todo”.

Por outro lado, o edil eborense enfatizou ainda o modelo de cooperação que se tem verificado entre IEFP, câmara municipal, universidade e empresas de aeronáutica, e que tem sido decisivo para o sucesso da presença aeronáutica no Alentejo.

O segundo painel desta conferência contou com as intervenções de representantes do Centro de Investigação da Academia da Força Aérea Portuguesa, da Mecachrome Aeronáutica, da UAVision Aeronautics e de CASR.Co, Civil Aviation Software.

O PORTUGAL LOOKS UP é uma iniciativa inovadora que visa não só a promoção das atividades Aeronáuticas, Espaciais, de Defesa e de Segurança em eventos e feiras internacionais mas também a atração de investimento estrangeiro para Portugal nesses sectores. Esta iniciativa reúne 7 instituições privadas e governamentais, nomeadamente o AED Cluster Portugal, a Agencia de desenvolvimento Regional do Alentejo ADRAL, a AICEP, a Plataforma das Industrias de Defesa Nacio0ansi IdD, a Fundação para a Ciência e Tecnologia FCT, o Governo Regional dos Açores e a estrutura de missão Portugal IN, do gabinete do Primeiro-Ministro.