13 março 2018

Dia Internacional da Mulher assinalado em Évora

No âmbito das comemorações do 8 de março – Dia Internacional da Mulher – decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Évora uma sessão evocativa sobre "A Luta e os Direitos das Mulheres".

A sessão foi moderada pela Vereadora Sara Dimas Fernandes, que abordou diversas problemáticas sociais que afectam com especial gravidade as mulheres, nomeadamente a exploração sexual, a violência no namoro e as desigualdades no trabalho e no salário. A título de exemplo, actualmente as mulheres ganham em Portugal, em média, menos 16,7 % do que os homens, sendo que este diferencial salarial aumenta para 26,4 % ao nível dos quadros superiores.

A investigadora Carmen Almeida, chefe de Divisão da Câmara Municipal de Évora, e investigadora do Instituto de História Contemporânea da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Universidade Nova de Lisboa, e do Centro de Estudos de História e Filosofia da Ciência da Universidade de Évora, apresentou a comunicação "100 anos depois, uma reflexão – As mulheres e a 1ª Guerra Mundial".

Esta comunicação iniciou-se com a apresentação de um conjunto de indicadores da situação económica e social das mulheres no período anterior à implantação da Republica, e a sua relação com a criação dos primeiros movimentos feministas, que culminou com a realização do I Congresso feminista de 1924. Foram destacadas algumas das principais ativistas (Ana de Castro Osório, Carolina Beatriz Ângelo, Adelaide Cabete, etc) e a sua luta pelo direito ao voto, encetada depois da publicação da Lei Eleitoral de 1911. Foi ainda dado grande destaque ao impacto que a 1ª Guerra Mundial teve na emancipação feminina, através da entrada das mulheres no mercado de trabalho, ocupando os lugares que os homens, mobilizados para a Guerra, haviam deixado por preencher.

Participaram ainda nesta sessão Deolinda Machado (Secretariado do Conselho Nacional da CGTP-IN) que centrou a sua intervenção na importância da luta pelos direitos laborais, o Presidente do Município, Carlos Pinto de Sá, e Maria Antónia Boieiro em representação do STAL.

Além de outros eventos, neste dia foi inaugurada na Igreja de São Vicente a exposição "De pleno direito e à luz da igualdade", de Susana Marques, de cartazes evocativos das principais problemáticas da condição da mulher em pleno séc. XIX, integrada no projecto "Mulher Q Vive + Aqui", e promovida pelo MDM (Movimento Democrático de Mulheres), Colecção B, e União das Freguesias de Malagueira e Horta das Figueiras, com a actuação do Grupo Vozes do Imaginário. Segundo a autora, esta exposição teve como objectivo "questionar e fazer repensar o nosso posicionamento relativamente aos 3 eixos temáticos fundamentais deste projecto: Igualdade de género, Violência doméstica e Tráfico de seres humanos".

Ao anoitecer tivemos ainda uma "Serenata à Mulher", organizada pela Associação Académica da Universidade de Évora, e que teve lugar na escadaria do edifício dos Paços do Concelho, e contou com a actuação da Tuna Académica da Universidade de Évora, Tuna da Escola Superior de Enfermagem São João de Deus, Tuna Académica Feminina da Universidade de Évora, e Grupo Académico Seistetos.

Uma manifestação nacional decorreu no dia 10 de Março, em Lisboa, subordinada ao tema "A voz das mulheres pela igualdade| direitos|desenvolvimento|paz", promovida pelo MDM.

Devido às condições meteorológicas, a caminhada e o circuito desportivo nas piscinas municipais previstos para domingo, dia 11 de Março, foram adiados para o dia 25 de Março."

M1.jpg M4.jpg M5.jpg M6.jpg M7.jpg M8.jpg M9.jpg M10.jpg M11.jpg M13.jpg M14.jpg M15.jpg M16.jpg M17.jpg M18.jpg M19.jpg M20.jpg M21.jpg M23.jpg M24.jpg M25.jpg M26.jpg M27.jpg M28.jpg M30.jpg M31.jpg M32.jpg M33.jpg

 

 

 

​