24 novembro 2017

ENEG 2017 debate alterações climáticas

O Presidente da Câmara Municipal de Évora, Carlos Pinto de Sá, participou na passada terça-feira na mesa redonda subordinada ao tema "Adaptação às alterações climáticas no setor da água: da estratégia à realidade", integrada no Encontro Nacional de Entidades Gestoras de Água e Saneamento, que atualmente decorre em Évora.

Esta mesa redonda, moderada por Ana Margarida Luís (Diretora de Gestão de Ativos da EPAL), ficou marcada pelas declarações de Filipe Duarte Santos (Professor da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa) segundo o qual "a mudança climática traduz-se pelo alargamento da zona climática tropical, o deserto está a ser empurrado para norte".DSC_3357.jpg

Segundo este especialista, "a mudança climática traduz-se pelo alargamento da zona climática tropical, o deserto está a ser empurrado para norte. É essencial no setor da água ter esta mudança climática em conta", salientou, admitindo que em Portugal, por ser um país muito antigo, não seja fácil às pessoas aceitarem que esse país está a mudar e que o clima muda.

Sobre esta matéria Carlos Pinto de Sá, que se fez acompanhar do vice-presidente da edilidade, João Rodrigues, enveredou por uma visão global da questão, afirmando que "perante um problema planetário e estrutural as respostas têm de ser planetárias e estruturais, porque não se resolvem a nível autárquico ou a nível nacional, o que não significa que as autoridades locais não possam ter um papel na resolução de problemas".

Participaram ainda nesta mesa redonda Jorge Vazquez (Administrador da EDIA) e Rafaela Saldanha Matos (Investigadora-Coordenadora do LNEC).