03 janeiro 2017

Escola Básica Manuel Ferreira Patrício recebeu visita do Ministro

A Escola Básica Manuel Ferreira Patrício recebeu hoje (3 de Janeiro) o Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, que veio assistir ao arranque do 2º período letivo. Quis fazê-lo em Évora, numa escola inclusiva. A escola tem as valências pré-escolar (com três salas de crianças do regular e uma de crianças surdas) e 1º, 2º e 3º ciclo, com várias respostas educativas vinculadas às necessidades e perfil dos alunos, incluindo unidades de multideficiência.

Uma visita que foi acompanhada pela Vice-Presidente da Câmara Municipal de Évora, Élia Mira, e pelos Vereadores Cláudia Sousa Pereira e Silvino Costa. Contou igualmente com a presença do patrono da escola, o Prof. Manuel Ferreira Patrício, e do Delegado Regional de Educação, Manuel Barroso.

Nesta visita, a comitiva teve como guia, Isabel Gomes, Diretora do Agrupamento de Escolas Manuel Ferreira Patrício que lhes proporcionou o conhecimento mais pormenorizado de diversas aulas e atividades.

"É um prazer estar aqui no início do 2º período, numa escola muito singular, no sentido que tem um projeto pedagógico altamente inclusivo", afirmou o Ministro da Educação aos jornalistas. Relativamente  à colocação de assistentes operacionais falou do esforço feito no 1º período, afirmando que "em breve chegarão às escolas uns bons milhares de horas para suprir necessidades eventuais".

Em declarações no final da visita, a Vice-Presidente saudou a vinda no Ministro da Educação ao Concelho, considerando que esta "serviu sobretudo para dar visibilidade ao bom trabalho que é feito neste Agrupamento no sentido de uma escola inclusiva que promove valores fundamentais como este de ter crianças com necessidades educativas especiais perfeitamente integradas na comunidade educativa". Reconheceu que hoje "foi sobretudo uma visita virada para o projeto educativo da escola, muito centrada nos alunos, o que é positivo por parte de um governante que vem até ao interior do país para estar perto dos alunos e da comunidade educativa em geral".

Lamentou apenas não ter sido possível falar de alguns problemas estruturais que afetam a escola "nomeadamente a intervenção na cobertura que urge realizar, num montante incomportável para o Município", mas considerando que "não faltarão s​eguramente ocasiões para abordarmos estas questões", tal como tem acontecido em relação à colocação de pessoal não docente nas escolas.

A Diretora, Isabel Gomes, confirmou que não teve problemas com a colocação de professores e que em relação ao pessoal não docente, nomeadamente auxiliares de ação educativa "tem havido um processo de alteração da situação em que tem colaborado a Câmara Municipal de Évora, uma vez que estamos com contrato de execução e neste momento estão em processo de contratação mais elementos não docentes e a situação está a ser normalizada".​