28 abril 2016

Évora e Cáceres unidas em “Maratona de Leitura”

No âmbito do 30º aniversário da Classificação de Évora e Cáceres Património Mundial

No âmbito do 30º aniversário da Classificação como Património Mundial
Évora e Cáceres unidas em “Maratona de Leitura”

Florbela Espanca, José Saramago, Eça de Queiroz, Luiz Vaz Camões, Júlio Dantas, Manuel Gusmão foram alguns dos nomes maiores que esta quarta-feira (27 de abril) uniram jovens alunos de Évora e de Cáceres, numa Maratona de Leitura, realizada no âmbito do 30º aniversário da classificação como Património Mundial das duas cidades ibéricas.
Ao longo de mais de duas horas, a Praça de S. Jorge, bem no coração da cidade espanhola, foi palco de uma extraordinária ação de promoção da leitura, em que os extremenhos leram e declamaram autores lusos, enquanto os alunos da Escola Conde Vil’alva privilegiaram os escritores espanhóis.
Sob o patrocínio do Instituto Camões de Cáceres, a XII Maratona de Leitura em Língua Portuguesa constituiu um enorme êxito, com os alunos dos docentes da disciplina de espanhol Ana Rosado e Sónia Oliveira a confraternizarem com os seus congéneres espanhóis e a aproveitar ao máximo a oportunidade de contactar “in loco” com uma realidade anteriormente conhecida em sala de aula.
Aliás, foi a pensar nas potencialidades do encontro que os promotores do mesmo, do qual fez parte a Câmara Municipal de Évora, organizaram um “peddy paper” por toda a zona classificada de Cáceres, com equipas formadas por alunos dos dois lados da fronteira, com o intuito de incentivar o intercâmbio e a troca de conhecimentos e experiências.
Mas não foram só os alunos das turmas A,C,D e E, do 9º ano “da Conde Vil’Alva” que ”vestiram a pele” de embaixadores da leitura e da Língua Portuguesa. O Vereador Eduardo Luciano, responsável pelos pelouros das relações internacionais e da cultura, “chefe da delegação eborense”, leu um excerto de um texto original de Manuel Gusmão, escrito por ocasião do 29º aniversário da classificação de Évora como Património Mundial. Outros elementos da autarquia, da Associação Cultural “É Neste País” e da Biblioteca Pública de Évora também “subiram” ao púlpito e deram a conhecer um pouco mais a língua de Camões.

19 mil aprendem português na Extremadura

A XII Maratona de Leitura em Língua Portuguesa teve, durante a manhã, uma componente mais formal, principalmente durante a receção nos Paços do Concelho de Cáceres, em que a autarca local, Elena Nevado, fez questão de dar as boas-vindas à comitiva eborense, manifestando o seu regozijo pelo fortalecimento das relações fronteiriças.
Já o autarca de Évora, que falou em nome da delegação Alentejana frisou que “cidades com estas características têm de estar sempre disponíveis para cooperar, a todos os níveis. Temos todos a ganhar em estar unidos. Se fisicamente as fronteiras há muito que desapareceram agora há que viver essa realidade”.
Por último, Raquel Gafanha, Diretora do Instituto Camões em Cáceres, revelou que a aprendizagem da língua portuguesa na Extremadura tem vindo a crescer. “Neste momento são já cerca de 19 mil os extremenhos que optaram pelo português como segunda língua estrangeira, logo a seguir ao inglês, o que nos deixa muito orgulhosos”. Atualmente, 7714 estudantes aprendem castelhano no Alentejo.
Um texto de Miguel de Cervantes lido em castelhano por uma aluna eborense e em português por um jovem cacereño pôs termos à cerimónia oficial de abertura da XII Maratona de Leitura em Língua Portuguesa.

Para visualizar mais imagens do evento clique aqui