23 julho 2019

Exercício de Emergência Escala Total: Proteção Civil eborense testa meios no Aeródromo Municipal

Uma aterragem igual a milhares de outras no Aeródromo Municipal de Évora. No momento em que toca o solo, o pequeno avião descontrola-se, sai da pista e incendeia-se. Os meios de socorro são prontamente accionados. Primeiro os do Aeródromo. Depois os restantes. O autotanque da Proteção Civil Municipal chega ao local e começa a apagar as chamas. Dali a instantes, acodem os Bombeiros Voluntários de Évora. Polícia de Segurança Pública também entra em campo, assim como a ambulância para transportar os feridos, um grave e dois ligeiros, que são retirados cuidadosamente do local.

 

Este foi o cenário de treino vivido na manhã de hoje (23 de Julho de 2019) pelos diversos meios de socorro acionados no Aeródromo Municipal de Évora no âmbito do exercício Emergência à Escala Total.  O exercício destinou-se a testar o Plano de Emergência do Aeródromo Municipal de Évora (LPEV), nomeadamente testar e treinar a exequibilidade dos procedimentos aí inscritos, o que a acontecer determinará a manutenção do Plano de Emergência, ou caso tal não se verifique, desencadeará a ajustes de forma a aproximar a capacidade de resposta demonstrada com a realidade do LPEV.

 ​

De acordo com a regulamentação em vigor para o setor, os aeródromos estão obrigados à realização de um Exercício à Escala Total bienalmente, e sempre que disponham de um novo Plano de Emergência.

 

A concretização de um "Exercício à Escala Total", para além de dar cumprimento a um requisito da ICAO, reveste-se de particular importância como ferramenta de desenvolvimento da capacidade de reação de um aeródromo a um eventual acidente que ocorra nas suas infraestruturas.

 

No Plano de Emergência do Aeródromo Municipal de Évora estão contempladas ações a serem desenvolvidas para fazer face a diversas situações tipificadas de emergência, onde os procedimentos de coordenação e comunicação estão evidenciados e as responsabilidades e obrigações de cada entidade envolvida estão devidamente identificadas de forma a assegurar uma resposta rápida e coordenada de todos os intervenientes internos e externos.

 

Da mesma forma, a execução deste tipo de exercício reveste-se de uma importância primordial pelo facto de permitir testar a coordenação com os meios exteriores e verificar a sua capacidade de integração com as necessidades decorrentes da especificidade de uma resposta a um acidente dentro do espaço aeroportuário.

 

O plano prevê o recurso a meios externos, para treino de pessoal e familiarização com o Plano de Emergência, com o objetivo de levar a bom termo a condução das operações de socorro, em acidentes de quaisquer proporções.

 

A realização deste exercício visou os seguintes objetivos gerais: Treinar a capacidade de intervenção operacional dos meios de socorro internos, em cenário de acidente aéreo no Aeródromo; Treinar a interligação de intervenção operacional entre os meios de socorro internos e externos; Treinar internamente os procedimentos internos a observar em caso de emergência no aeródromo; e Testar as plataformas de comunicação internas e com os agentes externos ao aeródromo.

 EET0.JPG EET1.JPG EET2.JPG EET4.JPG EET5.JPG EET6.JPG EET7.JPG EET8.JPG EET9.JPG EET10.JPGEET10a.JPG EET11.JPG EET12.JPG EET13.JPG EET15.JPG EET16.JPG EET17.JPG EET18.JPG EET19.JPG EET20.JPG EET21.JPG EET22.JPG EET23.JPG EET24.JPG EET25.JPG EET26.JPG EET28.JPG EET29.JPG EET30.JPG EET31.JPG EET32.JPG EET33.JPG EET34.JPG EET35.JPG EET36.JPG EET37.JPG EET38.JPG EET39.JPG EET40.JPG EET41.JPG EET42.JPG EET43.JPG EET44.JPG EET45.JPG EET46.JPG EET47.JPG EET49.JPG EET50.JPG EET51.JPG EET52.JPG EET53.JPG EET54.JPG EET55.JPG EET56.JPG