19 abril 2018

Exposição sobre a Guerra Civil de Espanha inaugurada no Palácio de D. Manuel

“El Éxodo de la Carretera de Almería – Febrero de 1937” é o título da recém-inaugurada exposição sobre a fuga de milhares de habitantes de Málaga para Almeria, a partir da data em que aquela primeira cidade da Andaluzia foi invadida pelos rebeldes da Guerra Civil de Espanha.

A abertura da exposição decorreu ontem, 18 de abril, na sala do primeiro andar do Palácio de D. Manuel, com a presença de Esther Cruces Blanco, diretora do Arquivo Histórico Provincial de Málaga, entidade responsável pela exposição. Acompanhada pelo vereador Eduardo Luciano, responsável pelo pelouro da Cultura na Câmara de Évora, Esther Blanco conduziu o público presente pela História (e também pelas estórias) dos documentos e imagens aqui apresentados.

Esta mostra, que ficará patente até 18 de maio, reúne um conjunto de documentos, oriundos de arquivos civis e militares, que testemunham o abandono da grande massa de pessoas que fugiu das atrocidades dos combates da guerra civil espanhola, usando a estrada que liga Málaga a Almeria. Recorde-se que este conflito fez mais de meio milhão de vítimas mortais, e opôs nacionalistas e republicanos, entre Julho de 1936 e Abril de 1939, quando os militares revoltosos venceram, dando início ao Franquismo, a ditadura de Francisco Franco.

Hoje 19 de Abril, às 18h00, também no Palácio de D. Manuel, tem lugar uma palestra que terá como oradores Esther Cruces Blanco e Luís Varela, encenador que recentemente conduziu na SOIR (Sociedade Operária de Instrução e Recreio Joaquim António de Aguiar), em Évora, a peça "As Espingardas da Senhora Carrar", um texto de Bertold Brecht, escrito em 1937, em plena Guerra Civil do país vizinho.

Esta exposição integra-se no "Centenário do Armistício - Évora Pela Paz", promovido pela Câmara Municipal de Évora, durante o corrente ano, e no âmbito do qual está programado um conjunto de exposições temáticas.

DSC_0049.JPG