06 julho 2016

A Feira de S. João deste ano mereceu a aprovação dos eborenses

​O Presidente da Câmara Municipal de Évora, Carlos Pinto de Sá, fez esta terça-feira um balanço da edição da Feira de S. João que decorreu sob o lema dos 30 anos da classificação de Évora como Património da Humanidade. Encerrada ao final deste domingo, 3 de Junho, a feira tem balanço positivo.

 

"Embora seja cedo para um balanço global, já que queremos reunir com todos os nossos parceiros, acho no entanto que numa apreciação rápida, a Feira de S. João correu bem. Em termos genéricos, e segundo as informações que recebemos, a feira deste ano foi do agrado da grande maioria das pessoas", disse.

 

"A organização do espaço, a imagem, os diversos programas, as exposições, a Feira do Livro, a Mostra de Turismo Cultural e as atividades desportivas foram bem recebidas pela população, pelo que poucas horas após o fecho da Feira de S. João deste ano o balanço é positivo", referiu ainda.

 

O autarca de Évora lembrou que "com muitas limitações, não só em termos de espaço, mas também em termos financeiros, a Feira de S. João carece de uma enorme discussão pública sobre o seu futuro e este ano quisemos, logo na abertura, assinalar início dessa consulta pública. Precisamos de fazer um debate muito alargado sobre o que queremos fazer da feira".

 

"Ao nível da Comissão Municipal de Economia e Turismo já discutimos várias ideias e linhas orientadoras. Após esse trabalho irá agora ser produzido um documento-base para que seja feito um debate estruturado sobre a feira onde vamos equacionar tudo", esclareceu.

 

"Há, naturalmente, posições contraditórias. Uns acham que a feira deve manter a sua linha mais tradicional e outros defendem uma rutura com o passado, sem no entanto, esquecer as origens do certame. Contudo, o importante é auscultar o máximo de pessoas, instituições, agentes para que se possa chegar a um consenso sobre o novo modelo de feira. Vamos lançar esta discussão, mas sem pressa".

DSC_3160.JPG