18 setembro 2020

Município de Évora aposta na recolha seletiva e valorização de biorresíduos

A Câmara Municipal de Évora apresenta um projeto inovador para recolha seletiva e valorização de biorresíduos: "ÉVORA+VERDE – Recolha Seletiva de Biorresíduos".

 

O projeto "ÉVORA+VERDE", que terá aplicação em Évora, consiste na recolha seletiva porta-a-porta dos biorresíduos produzidos pelos estabelecimentos de hotelaria e restauração localizados no Centro Histórico. Serão disponibilizados 100 contentores de 50 a 110 litros destinados a este setor de atividade, um compactador de biorresíduos, e ainda afetadas duas viaturas de recolha tecnicamente apetrechadas para o efeito.

As vantagens da implementação deste sistema no Centro Histórico de Évora serão significativas a vários níveis: os contentores subterrâneos ficarão livres de um volume considerável de resíduos, alargando a respetiva capacidade de escoamento e direcionando a respetiva função para a deposição de materiais mais limpos. Evitar-se-á, assim, a deposição de um tipo de resíduo que pelo elevado grau de decomposição se torna incómodo pelo cheiro desagradável que emite no espaço público.

O setor doméstico será igualmente abrangido através de um projeto-piloto a aplicar no Bairro da Malagueira, que deverá alcançar cerca de 1000 fogos. O projeto prevê, na sequência de uma campanha de informação e sensibilização, a distribuição de 1500 contentores de 5 a 10 litros pelos núcleos familiares e, ainda, a instalação de 20 contentores de 1200 litros para deposição dedicada.

A implementação prática, que deverá ocorrer nos próximos dois anos, surge na sequência do trabalho já desenvolvido nesta área pelo Município de Évora com a recolha porta-a-porta destes resíduos junto dos grandes produtores de Évora: hospitais, cantinas escolares, grandes restaurantes, etc.

A recolha seletiva de biorresíduos permite um conjunto significativo de vantagens. Desde logo sob o ponto de vista económico, através da produção de compostos de elevada qualidade, que poderão ser aplicados como fertilizantes em parques e jardins, mas também em agricultura biológica. Sob o ponto de vista ambiental, a separação e a valorização dos biorresíduos permite a eliminação das emissões associadas ao respetivo transporte, bem como a deposição em aterro, que deixará de ser necessária.

Na sessão em que foi apresentado este projeto, no passado dia 11 de setembro, no auditório do PACT (Parque do Alentejo de Ciência e Tecnologia) foi também apresentado o projeto "RE-PLANTA", através do qual se pretende cumprir o objetivo de promover a compostagem doméstica e comunitária, valorizando os biorresíduos onde são produzidos. O composto resultante deverá ser aplicado nos solos das hortas e jardins locais. Este projeto deverá vir a abranger, para além de Évora, os 12 municípios do distrito integrados no âmbito de intervenção da GESAMB.

Os projetos apresentados, que surgem em antecipação à diretiva comunitária que prevê a obrigatoriedade de recolha seletiva de biorresíduos a partir de 2023, resultaram de uma parceria de sucesso entre a Câmara Municipal de Évora e a GESAMB. Foram ambos aprovados no âmbito do POSEUR - Programa Operacional para a Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, abrindo o acesso ao financiamento de fundos comunitários com montantes elegíveis de investimento a rondar os 900 mil euros.