23 maio 2017

Projeto "Vidas Ativas" promove reflexões sobre a intervenção com famílias, jovens e crianças"

​​Decorre durante todo o dia de hoje (23 de Maio) o seminário "Lá em casa tudo bem? – Reflexões sobre a intervenção com famílias, jovens e crianças" no auditório da DGEstE, em Évora, que tem como objetivo promover um momento de partilha, de experiências e saberes que facilitem a intervenção junto de famílias socialmente vulneráveis.

Este seminário, no qual participa também a Vice-Presidente da Câmara Municipal de Évora,  integra-se no Projeto Vidas Ativas 3G, o qual está inserido no Contrato Local de Desenvolvimento Social 3ª Geração e visa promover a inclusão social dos cidadãos do Concelho de Évora tendo por base de actuação as parcerias.

 

Através dessas ações em parceria procura contribuir para o aumento da empregabilidade, para o combate das situações críticas de pobreza, especialmente a infantil e para a promoção da inclusão ativa das pessoas com deficiência e incapacidades. A entidade promotora é a Câmara Municipal de Évora, sendo a entidade coordenadora a APPACDM de Évora, que executa em conjunto com a Fundação Eugénio de Almeida. Tem como entidade financiadora a Segurança Social. E Estão também envolvidos diversos outros parceiros em cada eixo de actuação, que são os seguintes: Eixo 1 > Emprego, Formação e Qualificação;  Eixo 2 > Intervenção Familiar e Parental Preventiva  da Pobreza Infantil; Eixo 3 > Capacitação  da Comunidade e das Instituições; e Eixo 4 > Outras áreas de intervenção.

 

Na sessão de abertura dos trabalhos deste seminário proferiram intervenções sobre esta temática os seguintes oradores: Silvino Costa (Presidente da Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental de Évora - APPACDM); Henrique Sim Sim (Asessor da Secretária Geral/Coordenador da Área Social da Fundação Eugénio de Almeida); José Costa (em representação do Delegado Regional do Alentejo do Instituto de Emprego e Formação Profissional), Sónia Ramos (Directora do Centro Distrital de Solidariedade e Segurança Social); e Élia Mira (Vice-Presidente da Câmara Municipal de Évora).

 

Durante a manhã, os trabalhos incluíram também a conferência "Como abordar problemas sociais complexos?", por Rui Marques (Coordenador do Fórum para a Governação Integrada). A moderação ficou a cargo de Conceição Peres (Presidente da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Évora). Decorreu ainda um primeiro painel subordinado ao tema "Trabalho em rede: mito ou realidade", que teve como moderador Henrique Sim Sim e a participação de Catarina Rivero (Psicóloga Clínica, Psicoterapeuta e Terapeuta Familiar) e Bruno Caldeira (Psicólogo da Santa Casa da Misericórida de Lisboa).

 

Os trabalhos são retomados logo após almoço com um segundo painel sobre "Intervenção social: criatividade precisa-se?", moderado por Rosa Moreira (Coordenadora Técnica da APPACDM de Évora). Conta com a intervenção de Magda Dias (Fundadora da Escola da Parentalidade, Formadora, Escritora e Coach) e Cristina Valente (Representante em Portugal do Treino das Emoções/DL Desenvolvimento e Liderança (INXH Europe), Practitioner em PNL, Psicóloga, Coach Parental e Autora).

 

Segue-se o painel "Ser ou não…criança" que terá como moderadora Élia Mira (Vice-Presidente da CME e Vereadora do Pelouro da Educação e Intervenção Social". Serão oradores Armando Leandro (Presidente da Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens), Paula Pires de Matos (Pediatra do Desenvolvimento) e Rute Agulhas (Psicóloga especialista em Psicologia Clínica e da Saúde, Psicoterapia e Psicologia da Justiça, Docente no ISCT-IUL).

Foto1.jpg Foto2.jpg Foto3.jpg Foto4.jpg Foto5.jpg Foto6.jpg Foto7.jpg Foto8.jpg