24 maio 2018

Em reunião pública de 23 de Maio: Câmara de Évora tomou posição sobre o concurso de apoio às artes

​A Câmara Municipal de Évora, por proposta dos eleitos da CDU, tendo tomado conhecimento do resultado final do concurso governamental para apoio às artes promovido pelo Ministério da Cultura, deliberou por unanimidade: "Registar que foi corrigida a injustiça da exclusão do "CENDREV" ainda que com reduções no valores candidatados; Lastimar que, apesar de alguma expectativa em torno da possibilidade dos criadores de Évora serem incluídos no número dos que beneficiam de apoio, se verifica que as assimetrias e discriminações relativamente aos territórios do interior se mantiveram no seu essencial, com a exclusão de apoios a associações e projectos estruturantes para o concelho de Évora como são os casos de "A Bruxa Teatro", "É Neste País" ou "Associarte"; Manifestar preocupação com as dificuldades criadas às estruturas não apoiadas que as podem colocar no limite da sobrevivência; Reiterar a necessidade de uma mudança de paradigma nos programas de apoio às artes, com a criação de novas linhas de apoio e financiamento e o reforço das verbas disponíveis para a cultura; Garantir a nossa solidariedade para com as estruturas agora excluídas assumindo que tudo faremos para continuar a apoiar essas actividades e criadores no limite das nossas possibilidades e do quadro legal que nos condiciona".

 

Nesta reunião, além de um conjunto de propostas de vários serviços camarários, foram ainda aprovados por unanimidade três votos de pesar, um pelo político António Arnaut, um pelo pintor Júlio Pomar e um pelo arqueólogo Henrique Leonor Pina (que em 1964 identificou o Cromeleque dos Almendres), tendo a autarquia enviado as condolências às respectivas famílias.

 RPC 23 05 2018.jpg