15 março 2019

Câmara Municipal recebe na Praça do Sertório a “Greve Climática Estudantil”

E​sta manhã em Évora, tal como de Norte a Sul de Portugal e um pouco por todo o mundo, a “Greve Climática Estudantil” levou os estudantes a saírem às ruas revindicando medidas para combater o problema das alterações climáticas. 

Sob o mote “Faz pelo clima”, centenas de jovens reuniram-se na Praça do Giraldo e desfilaram pelas ruas da cidade, transportando cartazes onde ser podia ler, entre outras mensagens, “A terra é nossa”, “A mudança exige sacrifícios”, “Acorda Portugal” e “Não há planeta B”. Face à possibilidade de virem a ter faltas injustificadas, responderam “Decidi fazer parte da história ao faltar a história” ou “Porque não faltar agora, se vai faltar depois?”.

Esta manifestação terminou na Praça do Sertório, onde os jovens foram recebidos pelo presidente da Câmara Municipal, que para além de transmitir a todos os presentes palavras de apoio e solidariedade, teve a oportunidade de ouvir a leitura de um manifesto, onde se apontava o dedo à “inação dos governos face às alterações climáticas” e se defendia o cumprimento das metas do acordo de Paris, a proibição da exploração de combustíveis fósseis, a antecipação de 2050 para 2030 das metas referentes à neutralidade carbónica e um maior investimento nos transportes públicos.

Num ambiente de grande entusiasmo, foram repetidamente entoadas mensagens como:

“O que é que nós queremos? 
Lutar enquanto podemos!
Lutar para quê?
Não há planeta B.
Última chamada de atenção.
Nós somos a revolução!
Menos conversa e mais ação.
Aquecimento global não.”

“Eu bem sei e quero dizer.
Que o mundo está a aquecer.
Há medidas a tomar.
O Governo anda a brincar”

É importante relembrar que o Município de Évora integrou o grupo de 26 municípios piloto que recentemente elaboraram uma “Estratégia Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas (EMAAC)” (http://www.cm-evora.pt/pt/site-viver/Habitar/ambiente/Paginas/Projeto-ClimAdaPT-Local.aspx) cujo objetivo passa por melhorar a capacidade de incorporação de instrumentos e intervenções de adaptação às alterações climáticas. Projetos como o LIFE Água de Prata (que permitirá poupar cerca de 120.000m3 por ano), o Laboratório Vivo para a Descarbonização de Évora (que visa a redução das emissões de gases com efeitos de estufa e descarbonização da cidade), o Projeto Eco-Escolas (de sensibilização ambiental) e as “Ementas Sazonais Mediterrânicas” (de promoção do consumo de produtos de base local nas escolas) são, entre outros, representativos do empenho do município de Évora no combater às alterações climáticas.