Em reunião pública de 27 de Maio: Câmara de Évora aprovou viabilização do retorno do cinema comercial

Principais assuntos tratados na mais recente reunião pública de Cãmara.

​A Câmara Municipal de Évora aprovou, com os votos favoráveis da CDU e do PSD e a abstenção do PS, duas propostas que permitem o retorno do cinema comercial à cidade. A primeira diz respeito à constituição de lote para instalação de um cinema em terrenos anexos ao Terminal Rodoviário e a segunda proposta incide na atribuição desse lote à firma Algarcine – Empresa de Cinemas.

 

Por forma a agilizar prazos para a fruição do equipamento pela população e atendendo à necessidade de ser garantida uma solução urbanística e arquitetónica de qualidade, tendo em conta a localização do terreno, irão os serviços municipais a elaborar o Projeto Base de Arquitetura (Ante Projeto) do edifício, naturalmente dando resposta aos requisitos técnicos e layout a definir pelo futuro adquirente.

 

Refira-se ainda que a cedência do lote é exclusivamente destinada à construção de cinema, sob pena de reverter para a Câmara caso a finalidade seja alterada. Será também estudada a possibilidade de se realizarem ações em conjunto com os Agrupamentos de Escolas do Concelho.

 

Esta é a forma da autarquia procurar responder a um problema da cidade, uma vez que não dispõe de verba para recuperação ou construção de tal equipamento, prevendo o promotor que a breve prazo o cinema, constituído por três salas, entre em funcionamento.

 

No âmbito do projeto "Nós Propomos/Cidadania e Inovação na Educação Geográfica 2013-2014 foi feita a apresentação aos eleitos dos trabalhos realizados pelos alunos do Agrupamento de Escolas nº 4 de Évora - Escola Secundária André de Gouveia.

 

Recorde-se que o projeto foi lançado a nível nacional pelo Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa para as turmas de 11º ano do ensino secundário visando a produção de propostas de intervenção no território.

 

O Município de Évora participou no projeto pela primeira vez no ano de 2012-2013, tendo divulgado o mesmo junto das escolas do concelho. A Escola Secundária André de Gouveia respondeu favoravelmente ao desafio, participando também neste ano letivo com 16 trabalhos, 75 alunos de três turmas e respetivos professores.

 

Desses trabalhos, foram apresentados três pelos alunos na reunião pública de Câmara: criação de centro de acolhimento e tratamento de animais nas antigas instalações do antigo Hospital Psiquiátrico dos Canaviais, pertencente ao Ministério da Saúde; criação de rede de fornecimento de alimentos aos mais carenciados através de comida doada por restaurantes e supermercados; e criação de conjunto de quiosques virtuais em Évora com informações úteis para os visitantes.

 

Foi ainda aprovada por unanimidade a proposta do Presidente da Câmara que enuncia os critérios a utilizar para a preservação e rentabilização dos imóveis devolutos para uso não habitacional que são propriedade do Município, nomeadamente escolas desativadas. Trata-se de um património cuja não utilização cria e acelera processos de degradação que urge evitar, dando-lhe assim novos usos que beneficiem a comunidade. A primeira prioridade será a instalação de projetos municipais, a segunda de projetos das Juntas/União de Freguesias ou associações locais, seguindo-se a instalação de outras associações sem fins lucrativos sedeadas no concelho, Alentejo ou fora dele. Segue-se a concessão ou arrendamento e por último virá então a alienação, caso as outras prioridades não se concretizem.