"Um Pombo Pousou Num Ramo a Refletir na Existência" de Roy Andersson

Horário:
Sessões às 18h00 e 21h30
Inicio do Evento:
13 abril
Fim do Evento:
13 abril
Localização:
Auditório Soror Mariana

Sinopse: 
Como um D. Quixote e um Sancho Pança dos nossos tempos, Sam e Jonathan, dois caixeiros-viajantes vendendo artigos de diversão, levam-nos numa viagem caleidoscópica pelo destino dos humanos. Uma viagem que nos mostra a beleza de alguns momentos, a mesquinhez de outros, o humor e a tragédia que faz parte de nós, a grandeza da vida bem como a fraqueza da humanidade.
Vagueamos por UM POMBO POUSOU NUM RAMO A REFLECTIR NA EXISTÊNCIA, saboreando a beleza e o absurdo de estarmos aqui e agora, rodeado por outros demasiado iguais a  nós.

Festivais:
Festival de Veneza - Leão de Ouro

Notas de Crítica:
A série de sketches cómicos de Roy Andersson pode ser intraduzível enquanto cinema, mas é divinal. - The Telegraph

UM POMBO POUSOU NUM RAMO A REFLECTIR NA EXISTÊNCIA é o culminar quase perfeito de uma trilogia quase-perfeita, uma extravaganza de bizarria, humor, banalidade e até terror. Eleva Roy Andersson ao nível de Beckett e T. S. Eliot, e captura melhor do que qualquer filme que possamos ver nos próximos oito anos o horrível e glorioso absurdo de ser humano. - Indiewire
Roy Andersson demorou 14 anos para expor o público à sua trilogia sobre o ser humano. Uma espera que valeu a pena para se chegar a Um Pombo Pousou num Ramo a Refletir​ na Existência. Aqui Andersson encontrou um balanço perfeito para o seu bizarro a favor do humor. É de longe a mais engraçada das três obras, mas não é um humor de comédia, antes de reconhecimento do medo que cada um tem das situações representadas. (...) Tem uma fluência soberba e um humor com uma cadência no ponto. - Time Out Lisboa
O tour-de-force de Um Pombo Pousou num Ramo... é um espantoso plano-sequência de 12 minutos num bar onde, de súbito, irrompe Carlos XII, rei sueco do século XVIII, enquanto o seu exército passa lá fora. A câmara nunca mexe, mas no interior do plano há sempre alguma coisa a acontecer. Andersson anui: é o que acontece visualmente que lhe interessa, quer levar o espectador a descobrir o que está a passar-se na imagem, como quem observa atentamente um quadro.  - Público
Título Original: A Pigeon Sat on a Branch Reflecting on Existence
Género: Comédia
País: Suécia
Duração: 101'​

Informações Adicionais

Org.:  Cineclube da Universidade de Évora e o Pátio do Cinema - Núcleo de Cinema da SOIR Joaquim António de Aguiar
Apoio: CME
Maiores de 14 anos
Rua Diogo Cão, 8