Produtos Tradicionais e Artesanato


Saberes 


Ao longo dos tempos, os saberes passaram de mão em mão e, ainda hoje, há artesãos a trabalhar no seu ofício. Uma arte que se mantém no concelho, destacando-se, em Évora, a azulejaria, cabaças, peças em cerâmica, cortiça e madeira, mobiliário tradicional e peles; na Azaruja: as peças em cortiça e a cutelaria; na Graça do Divor: os artefactos em chifre e em Nossa Senhora de Machede o vestuário tradicional em pele. Além desta oferta de peças artesanais de cunho tradicional, Évora oferece uma excelente produção de artesanato urbano, pelas mãos de jovens criadores.

“Cochos” de cortiça
Típico objecto utilitário do pastor alentejano fabricado a partir da cortiça, inicialmente utilizado como um “vaso” para beber água do cântaro, é hoje um dos objectos artesanais mais genuínos da arte pastoril alentejana.

Móveis Alentejanos
São móveis típicos da região, pintados em tinta de esmalte com fundos brancos, azuis, verdes ou vermelhos e ornamentados com flores, tudo unido com laços coloridos. Normalmente são os artesãos que preparam as tintas misturando óleo de linhaça e secante com pigmentos. As peças mais características são a cama, a escrivaninha, a cadeira com assento em buinho, o guarda-fatos, a banquinha de cabeceira, o espelho e a arca.

Tarros, Tarretas e Canados de Évora
O tarro é um “contentor” de líquidos natural, em forma de tronco cilíndrico em cortiça, com tampa circular e asa (esta em madeira). Enquanto objecto funcional era utilizado no campo para o transporte do leite e da comida devido às propriedades isolantes da cortiça.

Vestuário tradicional
Várias são as peças de vestuário tradicionais alentejanas possíveis de encontrar na cidade. O mais conhecido, o capote alentejano, é um agasalho utilizado nos meses mais frios do ano, normalmente feito de burel com aplicação na gola de pele de ovelha ou raposa.

Podemos encontrar ainda outros tipos de abafos característicos da região: peliça e samarra (agasalho popular em pele de ovelha curto ou comprido) e safões (para vestir por cima das calças) em pele de ovelha.

Sabores


Em Évora o visistante encontrará a mais genuína cozinha alentejana. Resultado de uma profunda relação do homem com a terra magra, onde procurou o seu sustento, a cozinha tradicional é a sábia combinação dos produtos regionais, onde o pão, o porco e o borrego são as principais referências, com os aromas dos remperos locais (coentros, hortelã, poejos e orégãos), e onde não falta o azeite, o alho, a cebola e o louro. A esta ementa variada não podem faltar os queijos curados, os enchidos, as azeitonas e o toque requintado dos doces conventuais.

Hoje, em Évora, várias dezenas de restaurantes cultivam o gosto pela mesa tradicional, juntando o gosto de bem receber à fidelidade e originalidade do receituário gastronómico alentejano.

Queijo de Évora – DOP
Queijo curado, de pasta dura ou semi-dura, ligeiramente amarelado e com casca quase imperceptível. Mantém a forma de fabrico, segundo a tradição queijeira do Alentejo. Está classificado sob o designativo comum DOP (Denominação de Origem Protegida).

Vinhos – DOC
Na área da Região de Turismo de Évora estão inseridas cinco das oito sub-regiões vitivinícolas do Alentejo habilitadas para a produção de V.Q.P.R.D. (Vinho de Qualidade Produzido em Região Demarcada). A sua classificação foi uniformizada sob o designativo comum DOC (Denominação de Origem Controlada). Na zona de Évora destaca-se a Adega da Cartuxa que produz os vinhos Pêra Manca, Cartuxa e Monte dos Pinheiros. No concelho existem adegas que dão a conhecer como são feitos os vinhos, propõem provas de vinho acompanhadas com petiscos regionais e possuem lojas de venda directa ao público.

Cozinha Tradicional
Évora é o sítio ideal para conhecer os sabores alentejanos que nos conquistam à primeira garfada, se não ao primeiro aroma… Os pratos de carne de porco e de borrego, as sopas de pão com ervas aromáticas, os peixes do rio, os enchidos, queijos, vinhos, doces conventuais, entre outras iguarias, fazem desta cozinha uma das mais interessantes e saborosas do pais e quiçá do mundo.

Da cozinha eborense destacam-se a açorda alentejana, a sargalheta de toucinho à moda de Évora, a sopa de cação, o coelho manso à moda do Convento de Santa Clara, as migas com carne de porco, os pezinhos de porco de coentrada. Nas sobremesas são típicos o bolo Joana do Convento de Santa Clara, o bolo Rolão, as queijadas, a encharcada do Convento de Santa Clara, a sericaia, o torreão real de Évora, o pão de rala e outros doces de ovos, amêndoa e chila.

Os restaurantes eborenses apresentam ementas tentadoras quase todas privilegiando os pratos tradicionais do Alentejo que continuam a ser preparados como sempre foram!
É um passar de tradição que os alentejanos fazem questão em manter e que os apreciadores da boa mesa agradecem!