22 maio 2020

Máscaras, luvas e lenços de papel não são resíduos recicláveis

Não coloque em risco a saúde da população em geral e, em particular, de quem transporta e trata o seu lixo.

De acordo com as determinações das autoridades de saúde, as máscaras, luvas e lenços de papel, bem como outros materiais ou dispositivos de proteção individual usados, devem ser colocados nos contentores de lixo indiferenciado, sempre acondicionados em sacos de plástico bem fechados.

 

Nas últimas semanas tem sido verificada a existência de um número cada vez maior de materiais e equipamentos de proteção individual depositados nos ecopontos, isoladamente nos contentores de RSU (resíduos sólidos urbanos) e até deitados ao chão na via pública.

Este é um procedimento a evitar uma vez que é perigoso para a saúde pública e, em especial, para os trabalhadores que na sua atividade diária têm que recolher o lixo, transportá-lo, e tratá-lo até ao destino final.

A recolha, transporte e tratamento de resíduos é um serviço público altamente exigente sob o ponto de vista da segurança e proteção da saúde. Em tempos de pandemia, os riscos são acrescidos pela exposição a fatores de contaminação, em especial para os trabalhadores que nas tarefas de preparação da reciclagem manuseiam diretamente os resíduos.

A Câmara Municipal de Évora e a GESAMB – Gestão Ambiental de Resíduos alertam a população para a necessidade do rigoroso cumprimento das indicações das autoridades de saúde: máscaras, luvas, lenços de papel e outro material ou equipamento de proteção individual contra a infeção por COVID-19, deve ser depositado nos recipientes de lixo indiferenciado, acondicionado em sacos de plástico bem fechados. Nunca nos ecopontos ou na via pública.