Eu Responsável

​​​​​Entidade promotora e serviço responsável

Câmara Municipal de Évora - Serviço Municipal de Proteção Civil e Segurança.

 

Nome dos Responsáveis

Nuno Camelo | Joaquim Piteira

 

Calendarização

Mediante manifestação de interesse e agendamento.

 

Lotação

25 participantes.

 

Local

Estabelecimentos de ensino. No caso da ação "Suporte Básico de Vida", o local poderá ser outro.​


A Nossa Casa, Local (+) Seguro: o Plano Familiar de Emergência

Objetivos

  • Desenvolver uma cultura de segurança;
  • Conhecer os riscos em casa;
  • Saber tornar a casa mais segura;
  • Desenvolver comportamentos adequados em situação de emergência.

Público-alvo

Alunos de 2.º e 3.º CEB.


Resumo/Sinopse

A nossa casa deve ser um local seguro. Será que é? Será que está preparada para uma crise? Será que a conhecemos bem? E se tivermos que a abandonar, estaremos preparados? O que devemos levar connosco? Que funções e tarefas devem ser assumidas pelos membros da família? A resposta a estas e outras perguntas será dada nesta ação que pretende capacitar as famílias a fazer um trabalho de prevenção e preparação para realizar, em conjunto, um exercício que poderá fazer a diferença perante uma situação de acidente ou catástrofe.


Observações

Duração: 45 minutos


A Terra Treme, e agora?

Objetivos

  • Compreender a constituição do interior da terra;​
  • Entender a dinâmica interna da Terra;
  • Entender o sismo como um risco natural;
  • Identificar as áreas do território nacional mais propensas à ocorrência de sismo;
  • Reconhecer os efeitos gerados pela ocorrência de sismo;
  • Conhecer e saber aplicar as medidas de autoproteção;
  • Aprender a fazer – BAIXAR, PROTEGER, AGUARDAR;
  • Reconhecer a importância de simular;
  • Compreender que pôr em prática pode ajudar a salvar vidas.

Público-alvo

Alunos de 2.º e 3.º CEB.

 

Resumo/ Sinopse

A Terra treme, e isso acontece porque está viva, em movimento e sempre em desenvolvimento.

As placas que formam a Terra afastam-se, aproximam-se e a sua dinâmica cria montanhas, forma mares e vales.

A Terra tem uma história. Compreender essa história ajuda-nos a compreender o planeta e a forma como está vivo.

O sismo, apesar de não ser previsível, acontecerá sempre e por isso, todos devemos estar preparados e saber como agir.

Conhecer, treinar e afinar é um ciclo que nos deixa melhor preparados e que nos pode ajudar a ajudar outros.

 

Observações

Duração: 45 minutos

 

Incêndios em meio rural e urbano: como prevenir e como atuar

Objetivos

  • Identificar os incêndios como riscos tecnológicos;
  • Compreender situações que podem constituir risco de incêndio;
  • Conhecer os efeitos associados aos incêndios;
  • Conhecer as regras de atuação perante um incêndio;
  • Compreender a importância das medidas de autoproteção.

Público-alvo

  • Alunos de 2.º e 3.º CEB.
  • Alunos do Ensino Secundário e Superior.

Resumo/ Sinopse

Os incêndios quer em meio rural, quer em meio urbano estão algumas vezes associados a causas naturais. No entanto, a mão humana é a maior responsável pela área ardida no nosso país e pelo grande volume de perdas anuais (em floresta, materiais e vidas).

Estar sensível a este assunto é poder informar quem desconhece o risco de fazer focos de incêndio sem apoio, fora de época ou perante condições climáticas adversas.

Conhecer é também saber as medidas de autoproteção a adotar em caso de incêndio. Esta ação visa abordar estas e outras questões, diretamente relacionadas.


Observações

Duração- 45 minutos


Proteção Civil Preventiva: papel do cidadão na Proteção Civil

Objetivos

  • Conhecer e compreender a missão da Proteção Civil;
  • Identificar os agentes da Proteção Civil;
  • Identificar as entidades cooperantes da Proteção Civil;
  • Identificar os objetivos da Proteção Civil;
  • Reconhecer os domínios de atuação;
  • Perceber os vários níveis de atuação.

Público-alvo

Alunos de 2.º e 3.º CEB, aluno do Ensino Secundário e Superior.


Resumo/ Sinopse

Além do socorro, vital e necessário em variadíssimas situações, a Proteção Civil aposta na prevenção como plataforma de informação, sensibilização e formação de todos, com benefícios ao nível da prevenção de riscos, da capacitação perante a crise e da ajuda na reposição da normalidade.

Nesta dimensão de responsabilidade partilhada, o primeiro Agente é o cidadão que, conhecedor das formas corretas de atuar, poderá, em grupo, fazer a diferença perante situações concretas.


Conteúdos

  • Proteção civil preventiva;
  • Papel do cidadão.

Observações

Duração: 45 minutos


Riscos Naturais e Riscos Ambientais

Objetivos

  • Conhecer os riscos naturais.

Público-alvo

Alunos do Ensino Secundário e Superior.


Resumo/Sinopse

O Homem está sujeito a um conjunto de riscos naturais, decorrentes do funcionamento dos vários sistemas da Terra. Esses riscos, materializados em acidentes naturais, colocam em perigo a vida humana e as normais condições de habitabilidade em aldeias e cidades.

A ação humana, para além de potenciar estes riscos naturais, pelo seu impacto comprovado nos sistemas e nos recursos naturais, contribui, ainda, para a degradação da vida no planeta. Conhecer os riscos, saber como nos devemos proteger, identificar as ações impactantes e entender que a ação humana poderá ser mais amiga da vida e da Natureza, são os objetivos essenciais desta ação.


Conteúdos

  • Os principais riscos naturais (seca, tempestades, cheias, sismo, onda de calor, vaga de frio);
  • Causas, efeitos, grupos de risco, medidas de autoproteção;
  • Ação humana e riscos ambientais.

Observações

Duração- 45 minutos

 

Riscos Naturais: vivemos com a Natureza?

Objetivos

  • Respeitar a Natureza;
  • Conhecer melhor os espaços ambientais, as suas mais-valias e recursos.

Público-alvo

Alunos de 2.º e 3.º CEB.


Resumo/ Sinopse

Como podemos respeitar a Natureza? Como podemos conhecer melhor os espaços ambientais que nos rodeiam, as suas mais-valias e recursos? Podemos estar mais seguros se conseguirmos reconhecer os seus tempos, ciclos, condições e processos. Dependemos da Natureza para viver e por isso, porque não temos outra Terra, importa zelar pela defesa da nossa Casa Comum. Água, floresta, ar e terra são quatro elementos fundamentais sobre os quais devemos riscar os riscos da nossa presença ameaçadora. As árvores respiram "por nós", a água é fonte de vida, o ar deixa-nos viver e a terra alimenta-nos. A Natureza faz-nos viver e nós vamos descobrir isso, pode ser?


Conteúdos

  • As árvores respiram, a importância da floresta;
  • A água dá-nos vida;
  • O ar que respiramos;
  • A terra dá alimento;
  • Os principais riscos naturais (seca, tempestades, cheias, sismo, calor e frio);
  • Causas, efeitos, grupos de risco, medidas de autoproteção.

Observações

Duração: 45 minutos


Sem Tremer de Medo - Comportamento perante o Sismo

Objetivos

  • Entender o sismo como um risco natural;
  • Identificar as áreas do território nacional mais propensas à ocorrência de sismo;
  • Reconhecer os efeitos gerados pela ocorrência de sismo;
  • Conhecer e saber aplicar as medidas de autoproteção;
  • Aprender a fazer – BAIXAR, PROTEGER, AGUARDAR;
  • Compreender que pôr em prática pode ajudar a salvar vidas.
 

Público-alvo

Alunos do Ensino Secundário e Superior.


Resumo/Sinopse

O sismo, enquanto risco natural a que as populações se encontram sujeitas, é caracterizado pelo impacto que pode ter, mas também pelos largos intervalos de tempo sem ter registos percecionados pelas pessoas. Esta situação, para além de contribuir para uma eventual desvalorização face à sua manifestação, tornando-se um risco quase esquecido, faz com que a população não se preocupe muito com as medidas de autoproteção respetivas.

Esta ação pretende sensibilizar todos para a importância de se ser conhecedor e de estar preparado para viver situações relacionadas com o risco sísmico.


Conteúdos

  • Importância de simular;
  • Exercício a Terra Treme.

Observações

Duração: 60 minutos.

 

Suporte Básico de Vida

Entidade parceira

Bombeiros Voluntários de Évora.

 

Objetivos

  • Conhecer procedimentos - Suporte Básico de Vida.

 

Público-alvo

Alunos do Ensino Secundário e Superior

 

Resumo/Sinopse

Sobreviver ao acidente depende, muitas vezes, da assistência inicial prestada. Nessa medida, conhecer os procedimentos indicados e, simultaneamente, o que não se deve fazer, ajuda o cidadão a que, em caso de ter que intervir, o possa fazer da forma mais adequada, podendo até salvar vidas. Esta ação aborda a cadeia da sobrevivência e visa informar sobre os procedimentos adequados e a forma de reagir, ajudando quem necessita.


Conteúdos

  • SBV Geral e SBV Pediátrico;
  • Cadeia de sobrevivência;
  • Paragem cardiorrespiratória;
  • Obstrução de via aérea;
  • Posição lateral de segurança;
  • Questões de avaliação.

Observações

Esta ação decorre entre outubro e março e tem a duração de 120 minutos, em local a definir.

 

Viver e Sobreviver N(o) Desastre - Preparação e Sobrevivência

Objetivos

  • Conhecer os riscos;
  • Saber o que fazer para prevenir a ocorrência de acidentes;
  • Saber a melhor forma de "viver" a catástrofe.

Público-alvo

Alunos do Ensino Secundário e Superior.


Resumo/Sinopse

A diferença na vivência e sobrevivência perante um acidente grave ou uma catástrofe pode depender da forma como reagimos, como estamos preparados e como sabemos agir e contribuir para a reposição da normalidade. Conhecer os riscos, saber o que fazer para prevenir a ocorrência de acidentes e saber a melhor forma de "viver" a catástrofe, procurando sobreviver e ajudar outros a sobreviverem é o que se pretende abordar nesta ação.


Conteúdos

  • Conceitos de risco, acidente, desastre, emergência, catástrofe;
  • Principais riscos no concelho de Évora;
  • Principais eventos críticos no concelho de Évora;
  • Tipologia dos riscos (naturais, tecnológicos e mistos);
  • Medidas de autoproteção;
  • Técnicas de sobrevivência;
  • Plano Familiar de Emergência.

Observações

Duração: 60 minutos


Contatos

Telefone: +351 266 777 127

Email: smpc.evora@cm-evora.pt | nuno​camelo​@cm-evora.pt