Eu Civilinho

​​​​​​​Entidade promotora e serviço responsá​vel

Câmara Municipal de Évora - Serviço Municipal de Proteção Civil e Segurança.


Nome dos Responsáveis

Nuno Camelo | Joaquim Piteira


Calendarização

Mediante manifestação de interesse e agendamento.


Lotação

25 participantes


Local

Estabelecimentos de educação e ensino.


Observações

Duração - 45 minutos, exceto na ação "Radioamadorismo".

 

As cores e os sons da segurança

Resumo/ Sinopse

A segurança e a proteção são assuntos sérios, mas que podem e devem ser abordados de forma lúdica para que a mensagem possa chegar às nossas crianças. Sons, cores, imagens, modelos, brinquedos importantes, através de uma linguagem, adequada às crianças, indo ao encontro da forma como elas veem o mundo.


Objetivos

  • Saber atuar em situações de emergência;
  • Respeitar o que dizem os adultos;
  • Identificar os agentes de proteção civil e os seus papéis.

As cores​ e os sons da segurança: proteger brincando

Público-alvo

Crianças de creche e de jardim-de-infância.


Conteúdos

  • Sons de normalidade (floresta, mar, cidade, recreio de escola, festa);
  • Sons de evento crítico (incêndio, sismo, chuva, vento forte, gritos de aflição, inundação);
  • Sons de socorro (sirenes, mensagens de acalmia).


As cores e os sons da segurança: no risco não arrisco!

Público-alvo

Alunos do 1.º CEB


Conteúdos

  • Sons de normalidade (floresta, mar, cidade, recreio de escola, festa);
  • Sons de evento crítico (incêndio, sismo, chuva, vento forte, gritos de aflição, inundação);
  • Sons de socorro (sirenes, mensagens de acalmia);
  • Locais para brincar.

A Terra Treme, e agora?

Objetivos

  • Compreender a constituição do interior da terra;
  • Entender a dinâmica interna da Terra;
  • Entender o sismo como um risco natural;
  • Identificar as áreas do território nacional mais propensas à ocorrência de sismo;
  • Reconhecer os efeitos gerados pela ocorrência de sismo;
  • Conhecer e saber aplicar as medidas de autoproteção;
  • Aprender a fazer – BAIXAR, PROTEGER, AGUARDAR;
  • Compreender a importância de simular;
  • Compreender que pôr em prática pode ajudar a salvar vidas.

Público-alvo

Alunos do 1.º CEB.

 

Resumo/ Sinopse

A Terra treme, mas não será de frio. A Terra treme porque está viva, em movimento e sempre em desenvolvimento. As placas que formam a Terra afastam-se, aproximam-se, a sua dinâmica cria montanhas e forma mares e vales. A Terra tem uma história e compreender essa história ajuda-nos a compreender o planeta e a forma como está vivo. O sismo, apesar de não ser previsível, acontecerá sempre e por isso, as nossas crianças devem estar preparadas para saber como agir.


Radioamadorismo: C​omunicação e Proteção Civil

​Nomes dos Responsáveis

Luís Mota e Nuno Camelo.

 

Entidade parceira

ARE - Associação de Radioamadores de Évora.


Objetivos

  • Saber o que é o radioamadorismo e conhecer as suas práticas;
  • Codificar e decifrar, de forma simples e personalizada, um texto ou mensagem;
  • Construir uma chave de morse rudimentar, com materiais reciclados e transmitir/receber mensagens;
  • Conhecer procedimentos básicos de socorro e colaborar com a Proteção Civil;
  • Conhecer os princípios necessários à montagem e operação de uma estação de rádio.

Público-alvo

Alunos entre os 8 e os 12 anos (1.º e 2.º CEB). Escuteiros.


Resumo/ Sinopse

As comunicações em tempo de crise, pelas mais variadas razões, podem falhar ou até mesmo colapsar, porém, pela sua importância, a comunicação é imprescindível no socorro e na recuperação das populações.

Pretende-se dar a conhecer o enorme potencial humano e técnico dos radioamadores em matéria de radiocomunicações, a par do papel importante do Sistema Nacional de Proteção Civil, assim como as várias possíveis formas de colaboração esperadas pelas duas entidades e, ao mesmo tempo, fornecer aos jovens informações básicas de procedimentos a desenvolver em situações de emergência.


Conteúdos

  • A atividade dos radioamadores |Ser radioamador |Equipamentos e antenas | Constituição de uma estação de rádio | Modos de operação | Comunicação com a linha 112;
  • Princípios e Objetivos do Sistema Nacional de Proteção Civil.

Observações

A ação poderá desenvolver-se em duas tipologias distintas:

  • 1 sessão de 120 minutos;
  • 6 sessões de 45 minutos, com componente prática de construção de emissor de rádio com materiais reciclados.

Riscar com Riscos: a Natureza faz-nos viver?

Objetivos

  • Reconhecer a importância da Natureza e dos seus tempos;
  • Identificar riscos naturais.

Público-alvo

Alunos do 1.º CEB

 

Resumo/ Sinopse

Mais do que conhecer a Natureza, importa reconhecer a sua importância e respeitar os seus tempos, ciclos, condições e processos.

Dependemos da Natureza para viver e por isso, porque não temos outra Terra, importa zelar pela defesa da nossa Casa Comum. Água, floresta, ar e terra são quatro elementos fundamentais sobre os quais devemos riscar os riscos da nossa presença ameaçadora.

As árvores respiram "por nós", a água é fonte de vida, o ar deixa-nos viver e a terra alimenta-nos.

A Natureza faz-nos viver e nós vamos descobrir isso, pode ser?


Conteúdos

  • As árvores respiram, a importância da floresta;
  • A água dá-nos vida;
  • O ar que respiramos;
  • A terra dá alimento;
  • Principais riscos naturais (seca, tempestades, cheias, sismo, calor e frio);
  • Causas, efeitos, grupos de risco, medidas de autoproteção;
  • Expressão plástica com recurso a exemplos de natureza viva.

Riscar com Riscos: a Natureza está viva?

Objetivos

  • Apresentar os principais riscos naturais (seca, tempestades, cheias, sismo, calor e frio);
  • Identificar causas, efeitos, grupos de risco e medidas de autoproteção.

Público-alvo

Crianças de creche e de jardim-de-infância.


Resumo/ Sinopse

A força, dimensão e postura da natureza desencadeiam acontecimentos naturais que, muitas vezes, colocam as pessoas em situações delicadas de risco, de insegurança e de ameaça. Os elementos naturais manifestam na Terra uma força que importa conhecer, por de um organismo vivo se tratar, importando, igualmente, saber como prevenir, atuar e minimizar os efeitos negativos.

De pequeno se pode aprender, com recurso à linguagem certa, aos exemplos convidativos e às dinâmicas próprias. A Natureza está viva, querem ver?


Contatos

Telefone: +351 266 777 127

Emailsmpc.evora@cm-evora.pt nunocamelo@cm-evora.pt